EU... Eu, eu mesmo... Eu, cheia de todos os cansaços, Quantos o mundo pode dar. — Eu... Afinal tudo, porque tudo é eu, E até as estrelas, ao que parece, Me saíram da algibeira para deslumbrar crianças... Que crianças não sei... Eu... Imperfeita? Incógnita? Divina? Não sei... Eu... Tive um passado? Sem dúvida... Tenho um presente? Sem dúvida... Terei um futuro? Sem dúvida... A vida que pare de aqui a pouco... Mas eu, eu... Eu sou eu, Eu fico eu, Eu... (Fernando Pessoa)

12 de julho de 2008

Era uma vez ... Primeiro capítulo

Nasce UMA RAINHA,

Nasci em 18 de junho, às dez horas em um dia de tempestade repleto de relâmpagos, raios e trovões... chuvas e ventanias. Cheguei ao mundo apressada com sete meses transbordando de questionamentos e divagações pelo fato de não me terem deixado por mais dois meses no calor do ventre materno, no aconchego e comodidade que me era necessitado e a qual tinha direito, hoje saberia de pronto que caberia Mandado de Segurança uma vez que meu direito era liquido e certo sem necessária produção de provas... porém, o que fazer??? Eu já havia nascido mesmo... segundo nos bahianos literalmente estreado... (risss).
Não entendi aquela precipitada passagem momentos antes era a paz, a serenidade, a quietude e agora aquela aflição stressante, um monte de gente passando de um lado para outro em uma correria louca, uns negocinhos esquisitos parecidos comigo, mas só que todos se encontravam com cara de joelho, com um cheiro diferente, agradável, envolvente, aprazível, mas dessemelhante do meu... todos gritavam e esperneavam muito.
Esses trocinhos estavam por toda parte á minha direita, minha esquerda, em baixo de meus pés e em cima da minha cabeça... Insurgir-me diante dos transtornos que eles estavam causando e dei um grito estrondoso deve ter sido escutado com toda certeza até no estacionamento do hospital. E??? Fez-se silencio e paz. E só assim consegui retornar a adormecer.
Aprendi desde o berçário que se deve agir sempre deste modo com os homens demonstrando quem é que manda. Os trocinhos eram todos machos por isso estranhei o cheiro proveniente deles... após anos fiquei sabendo que eu fui à única menina que havia nascido naquela maternidade durante três dias... só no quarto dia bem cedinho que vi chegar outra menina (o máximo que fizemos por ela foi outorgar-lhe o título de princesa afinal de contas era do sexo femenino), mas já era tarde... eu já reinava no berçário...
RAINHA primeira e única.

Assim começou a minha historia... a minha saga e meu DOMÍNIO.



(continua)

2 comentários:

Amar Yasmine do AQUILIS disse...

KKKKKKKKKKKKK....

Ta vendo pq te chamo de "Poderosa Afrodite"???

Adorei o relato, to louquinha aqui pela continuação... não pára.. não pára.. não pára!!!

Besos doces, Rainha!

*;-)

cavaleiro.solitario.vc Capitão da Meia Noite disse...

Minha eterna Rainha,
Vi tuas fotos no berço com dias de nascida.
RSRSRS
Lembras?
Como teus amigos, imploro-te para que continues a escrever. Sei que tens a tese e teu trabalho, mas sabes como fazer para sobrar um tempinho só teu. Imagino o quanto estas te divertindo.
Amo-te
Amar-te-ei
Amar-te-ia

"Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é..." Catetano Veloso

"Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é..." Catetano Veloso

Musica em minha vida para tocar a tua!

"A vida:... uma aventura obscena de tão lúcida..." Hilda Hist

"És um dos deuses mais lindos...Tempo tempo tempo tempo..." Caetano Veloso

"SOU METAL, RAIO, RELÂMPAGO E TROVÃO..." Renato Russo

"SOU METAL, RAIO, RELÂMPAGO E TROVÃO..." Renato Russo
RAINHA VICTORIA CATHARINA

"De seguir o viajante pousou no telhado, exausta, a lua." Yeda P. Bernis

"Falo a língua dos loucos, porque não conheço a mórbida coerência dos lúcidos" Fernando Veríssimo

"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós."