EU... Eu, eu mesmo... Eu, cheia de todos os cansaços, Quantos o mundo pode dar. — Eu... Afinal tudo, porque tudo é eu, E até as estrelas, ao que parece, Me saíram da algibeira para deslumbrar crianças... Que crianças não sei... Eu... Imperfeita? Incógnita? Divina? Não sei... Eu... Tive um passado? Sem dúvida... Tenho um presente? Sem dúvida... Terei um futuro? Sem dúvida... A vida que pare de aqui a pouco... Mas eu, eu... Eu sou eu, Eu fico eu, Eu... (Fernando Pessoa)

24 de agosto de 2011

Desobvializar...

Desobvializar, é tirar o óbvio da sua vida, é estalar o dedo do pé, é acordar com o pé esquerdo, é usar um tênis de cada cor, é repintar o arco-íris.

Desobvializar é pular de paraquedas, é pular de paraquedas no dia do casamento, é pular de paraquedas na hora do casamento, é não pular de paraquedas.

É pular uma, duas três, quatro, cinco, seis, sete, oito ondas, é não entrar na onda, é criar uma nova onda.

Desobvializar, é mudar de nome, é inventar um nome, é escrever o seu nome com a outra mão, é escrever o seu nome na historia dos últimos 15 segundos. É não anunciar a dieta na segunda.

Desobvializar, é falar puxando o ar para dentro, é falar uma língua inventada, é falar o que ninguém espera, é ver o que ninguém vê, é não falar "pavê ou pacomê".

Desobvializar, é não ligar pra nada, é ligar para um numero qualquer, é não ligar os pontos, é publicar um conto, é namorar no telefone sem parecer um tonto.

Desobvializar, é chamar o garçom cantando "♪ Gaarrçooommm ♪", é não levantar o braço na mesa, é não coçar a cabeça se ele não atende,é coçar a cabeça do próprio garçom, é simplesmente inventar um som.

Desobvializar é não perguntar pro vizinho se vai chover, declamar um poema no elevador, é ir de escada, é ir de bicicleta na escada, é andar na rua de madrugada, é cantar rock na serenata.

Desobvializar é descombinar uma roupa, é fazer a própria roupa, é não se esconder em uma roupa, é não esconder que se ama, é não perguntar "eai, isso é pra homem?!".

Desobvializar, é tirar o óbvio da sua vida, é inventar a sua fé, é ser o que se é, é estalar o dedo do pé.

Desobvializar é reinventar. Sabe aquele dia estressante, cheio de correria, de horas marcadas, imprevistos, desencontros... é, esse foi o meu dia hoje.

Tinha todos os motivos para ficar estressada. Estou até de tpm, poxa! Mas, achei melhor fazer diferente.

Temos que aprender a jogar fora o lixo que impede de percebermos o que acontece e realmente importa.

Desobvializar é não fazer o óbvio. Diante dos problemas, do nervoso, das perdas e frustrações. É olhar pra frente e caminhar quando o mais fácil é se entregar de uma vez e desistir.

O mundo exige mais a quantidade do que a qualidade, e mesmo sem
concordar com isso sou obrigada a viver assim. Muitas vezes temos que fazer o óbvio pois grande parte das pessoas vivem do óbvio.

Esses dias tive que acordar mais cedo, sempre acordo 7h30, mas cheguei a acordar as 6h, pois era o único horário disponível para ir em uma consulta; acabei percebendo que acordar cedo não é nada ruim. O ruim mesmo é acordar, depois que agente levanta ai parece que as coisas fluem, e quanto mais cedo levantamos, mais disposição temos para aproveitar o lindo dia que vem pela frente.

Desobvializar exige esforços. Não é sempre que você tem vontade de inovar e sair com aquela roupa que está fora de moda mas que você adora. As vezes é mais fácil ligar para sua amiga/amigo e ver com que roupa ela/ele vai para não pagar mico. O que não percebemos é que o mico é sairmos todos iguais, padronizados.

"Produzidas com roupinhas da estação
Que viram no anúncio da televisão

Escravas da moda vocês são todas iguais
Cabelos, sorrisos e gestos artificiais

A sua filosofia é ser bonita e gostosa
Fora disso é uma sebosa tapada e preconceituosa
Seus lindos peitos não merecem respeito
Marionetes alienadas vocês não têm jeito"

Que você entenda que desobvializar é mais que inovar. É mexer naquilo que você não quer que mexam; é olhar para você e não enchergar outra pessoa; é ser, sem ter medo de parecer ridículo. É fazer, cantar, brincar, inventar... e quando não der certo, começar novamente e reinventar.


Raquel Brassal


2 comentários:

Escarlatte disse...

E tem como não concordar...Há dias que tudo que podemos ser é: indeferente dos demais.

Amei este texto.

Rainha Victoria Catharina disse...

Agradeço-lhe !!!

Com todo meu carinho...

Beijos

"Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é..." Catetano Veloso

"Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é..." Catetano Veloso

Musica em minha vida para tocar a tua!

"A vida:... uma aventura obscena de tão lúcida..." Hilda Hist

"És um dos deuses mais lindos...Tempo tempo tempo tempo..." Caetano Veloso

"SOU METAL, RAIO, RELÂMPAGO E TROVÃO..." Renato Russo

"SOU METAL, RAIO, RELÂMPAGO E TROVÃO..." Renato Russo
RAINHA VICTORIA CATHARINA

"De seguir o viajante pousou no telhado, exausta, a lua." Yeda P. Bernis

"Falo a língua dos loucos, porque não conheço a mórbida coerência dos lúcidos" Fernando Veríssimo

"O que verdadeiramente somos é aquilo que o impossível cria em nós."